October 17, 2016

30 anos de ortodontia…o que mudou?

Eu acabei de voltar de férias e durante essa parada eu percebi que se passaram 30 anos desde que eu completei meu treinamento em ortodontia. Eu pensei que eu devia escrever um post sobre as mudanças que ocorreram nestes 30 anos de ortodontia e eu espero que vocês achem isso interessante.

Então aqui estão elas, sem nenhuma ordem de prioridade.

 Ortodontia baseada em evidências

Quando eu estava em treinamento, nós pensávamos que estudos retrospectivos e relatos de caso fossem os maiores níveis de evidência. Nós aceitávamos quase todos os artigos publicados como se fossem a verdade e citávamos os autores com um fervor quase religioso. Existiam poucos ensaios randomizados e não existiam revisões sistemáticas. Quando eu olho para trás, o trabalho mais interessante estava sendo feito por Lysle Johnston, que estava usando uma análise discriminatória em seus estudos. Mas isso era muito difícil para eu entender.

Eu não pensei em níveis de evidência até o início da década de 1990, quando os grupos da Universidade da Carolina do Norte e da Florida começaram a publicar os resultados iniciais dos seus estudos de Classe II. Ao mesmo tempo, Bill Shaw, em Manchester, estava promovendo as revisões sistemáticas como uma fonte de evidência.

Foi um momento que passou rápido e eu olho para trás carinhosamente, como sendo um período de ouro no nosso departamento, onde quase todos os pacientes estavam participando de algum estudo. Isso continuou com muitas pessoas que conduziram pesquisas. Agora eu sinto que a ortodontia lidera o campo dos ensaios e das revisões sistemáticas na odontologia. Agora nós podemos praticar ortodontia baseada em evidências, se quisermos…

 Braquetes e fios

Eu aprendi Standard Edgewise (torque zero) e um pouco de Begg. Nós dobrávamos os fios redondos nos estágios iniciais do tratamento e colocávamos torque nos fios retangulares. O desenvolvimento dos braquetes e dos fios desde aquela época é evidente. Agora é muito mais efetivo realizar um tratamento ortodôntico.

 Aparelhos funcionais

Nós fazíamos as mandíbulas crescerem com os aparelhos de Frankel e o Bionator. Agora nós não fazemos mais as mandíbulas crescerem com o Twin Blocks e os aparelhos fixos funcionais. Nós simplesmente movemos dentes e promovemos bom tratamento.

 Com extração e sem extração

Nós tirávamos muitos dentes e fomos treinados para fechar espaços com mecânicas apropriadas. Como resultado, nós não destruímos faces. Agora nós não tiramos tantos dentes e isso tudo funciona bem?

 Tratamento precoce

O tratamento precoce interceptativo era a extração seriada. Eu não sei se isso funcionou porque eu não acompanhei nossos tratamentos. Agora nós praticamos o tratamento precoce por razões que parecem ser não-científicas e irracionais. Sites de mídia social e relatos de caso estão cheios de tratamentos interceptativos, por exemplo, fechando espaços entre os incisivos superiores entre 8 e 10 anos de idade, isso tudo, para mim, faz parte do desenvolvimento normal. Não está claro para mim por que os ortodontistas estão fazendo isso.

 Auto-ligáveis

Nós usamos os braquetes Speed, mas ele não era confiável por conta das fraturas nos clipes. No início dos anos 2000 o desenvolvimento mais surpreendente foi o da consistência e da confiabilidade dos braquetes auto-ligados. Não foi surpreendente por conta da tecnologia. O que foi surpreendente foi a sua adoção sem crítica por parte dos anunciantes, dos principais formadores de opinião, a filosofia e o zelo quase religioso dos seguidores aos deuses dos auto-ligáveis. Mesmo que as pesquisas atuais mostrem que não existe nada de especial nos auto-ligáveis, os ortodontistas ainda os cultuam em simpósios e nas mídias sociais.

 Cirurgia ortognática

Eu e o cirurgião nos preocuparíamos sobre as cirurgias feitas em apenas uma das arcadas e nós manteríamos as arcadas fixadas uma na outra com fios após a cirurgia. As cirurgias ortognáticas agora são rotineiras e esse notável desenvolvimento tem feito uma grande diferença para os nossos pacientes.

 Sistemas com alinhadores

Existia uma vida antes dos alinhadores. Nós apenas alinhávamos os dentes com aparelhos fixos. Os alinhadores mudaram a ortodontia e abriram novas avenidas de tratamento para muitos pacientes. Mas eu ainda não entendo como isso funciona. Talvez isso seja porque eu não tenha visto uma simples parte de pesquisa de alta qualidade sobre a efetividade dos alinhadores. Curiosamente, eu não me lembro de ter visto uma série de casos prospectiva, ao menos que eu esteja perdendo algo. Mas agora as pessoas podem ser tratadas com alinhadores sem ver um dentista. A ortodontia precisa ter cuidado, nós estamos no topo de uma encosta muito escorregadia. O silêncio das sociedades de ortodontia, com exceção da Sociedade Britânica de Ortodontia (BOS), é ensurdecedor. Onde estão vocês Associação Americana de Ortodontia (AAO), Sociedade Européia de Ortodontia (EOS) e Sociedade Mundial de Ortodontia (WFO), essa não seria a hora de se manifestar e se posicionar sobre isso?

 Ortodontia miofuncional, “Orthotropics” e dentistas especialistas em respiração

Eu perguntei sobre as evidências dessas técnicas há 30 anos … Ainda estou aguardando.

300px-ibm_px_xt_color Computadores, internet e mídia social

 Nós tínhamos um computador no nosso departamento, mas ele era conectado somente à eletricidade e a uma impressora. Nós costumávamos ligá-lo e saíamos para tomar um copo de chá enquanto ele iniciava. A internet mudou tudo. Agora a informação é muito mais acessível aos clínicos e aos pacientes. O lado bom é que isso nos ajuda a ajudar os nossos pacientes. O lado ruim é que isso permite que pessoas divulguem tratamentos que, simplesmente, não são verdadeiros. Eu estou falando de vocês seguidores dos auto-ligáveis, vendedores de vibradores dentários, que provocam traumas localizados e outros que promovem outros tipos de tratamento sem evidência.

 Contenção

Nós usávamos aparelhos de contenção removíveis de Hawley. Então, como muitos ortodontistas eu comecei a colocar muita contenção fixa e fiquei cansado de rever os “pacientes de contenção”. Agora eu uso ESSIX somente à noite. Isso parece funcionar e a evidência de pesquisas apóia essa conduta. Mas contenção e recidiva ainda é o nosso maior mistério..

 Resumo

Eu espero que você tenha apreciado essa pequena lista e, por favor, me desculpe pelo meu cinismo ocasional. Enquanto eu tenho sido crítico em algumas áreas, eu estou certo que o bem prevalece sobre o mal e que a ortodontia tem um grande futuro. Quando eu olho para trás eu vejo que eu desfrutei cada minuto da minha carreira clínica. Desde que eu me formei as mudanças foram imensas e eu espero ansiosamente pelas próximas descobertas que ajudarão a nossa especialidade. Eu espero que esse blog possa contribuir na disseminação desse conhecimento de uma pequena forma.

 

Traduzido por Klaus Barretto Lopes
Professor Visitante da Universidade de Manchester, Inglaterra, Reino Unido
Instrutor de Ortodontia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Brasil

Related Posts

Have your say!

  1. Avatar

    Great. Dr, O’ Brien’s. I am agree with your opinion . In fact during 41 years I always try to practice the excellence in Orthodontics based in biomechanics principles I learned in Orthodontic Department of Federal University of Rio de Janeiro.Unfortunately,most of younger specialists only care about appliances and forget the main; the diagnosis.

  2. Avatar

    Muito bom o relato.
    Obrigado

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *