May 17, 2019

O que significa a Ortodontia “amiga das vias aéreas”?

Nos últimos anos, uma nova área da Ortodontia pode ter sido criada. Ela é chamada “Ortodontia amiga das vias aéreas”. Achei que devia discutir sobre isso.

Tenho certeza que todos os leitores deste blog estão cientes das discussões que ligam o tratamento ortodôntico às vias aéreas. Porém, não estou certo de que todos estejamos atualizados sobre o conceito de Ortodontia “amiga das vias aéreas”. Isto tem sido enaltecido como um novo método de tratamento ortodôntico e também tem sido muito promovido por algumas companhias e seus líderes formadores de opinião (acho que você já sabe o que quero dizer com isso).

Por onde devemos começar?

Acho que o melhor lugar para começar é tentarmos definir este termo e perguntei para a grande fonte de conhecimento ortodôntico que é o Facebook:

“O que é Ortodontia “amiga das vias aéreas” e o que a diferencia da Ortodontia “convencional”?

O que encontrei?

Seguem algumas das respostas:

“Melhor ainda…o que é Ortodontia não amigável às vias aéreas?”

“É uma prática que procura educar e indicar adequadamente pacientes com suspeita de Apneia obstrutiva do sono (AOS)”.

“Tratamento ortopédico para prevenir riscos anatômicos de AOS.

“Um lema usado para assustar/motivar pacientes a requisitar tratamento para uma condição que não pode ser quantificada ou mesmo bem definida pelas pessoas que oferecem o serviço!”

Mas a minha favorita foi:

“Não entendo os motivos pelos quais as pessoas se chamam “amigas das vias aéreas” ou “Drs. Damon” ou “amigas das ATMs”. Eles estão querendo dizer que os outros ortodontistas não são?”

Estas definições, de alguma forma, explicam os motivos pelos quais essa área da Ortodontia está se tornando controversa.

Qual é o estado do nosso conhecimento sobre a AOS na infância?

Um ótimo lugar para começar esta discussão é considerar o resumo da conferência da AAO sobre AOS e Ortodontia. Falei sobre isso antes e aqui está aversão completa do artigo da AAO. Também fiz um post com um resumo sobre Ortodontia e respiração.

Minha interpretação das conclusões do encontro da AAO foi:

  • Os ortodontistas devem estar familiarizados com os sintomas da AOS e indicar o tratamento apropriado.
  • Se um ortodontista for tratar a AOS ele precisa ser competente.
  • Tratamento ortodôntico, com ou sem extração, não causa AOS.
  • Tratamento sem extração ou com expansão etc., não são a cura para a AOS.
  • Tratamento ortodôntico pode ter um papel no tratamento da AOS em crianças, mas o tratamento de escolha é médico/cirúrgico.
  • Não existe evidência na literatura de que o tratamento ortodôntico possa prevenir o desenvolvimento da AOS em crianças.

Anúncios sobre a “Ortodontia amiga das vias aéreas”.

Fiz uma busca no Google sobre a “Ortodontia amiga das vias aéreas”. É interessante que o primeiro resultado foi esse da Henry Schein Orthodontics, que promove um curso que estão dando. Parece que a Carriere sagittal first possui um papel!

Também está claro que a “Ortodontia marginal” promove este tipo de tratamento. O que não surpreende é que isso tenha se tornado o componente principal da Ortodontia miofuncional ou Ortodontia ortotrópica.

Ao dar uma olhada nos websitesdos ortodontistas “amigos das vias aéreas”, observei que muitos deles fizeram afirmações que não eram suportadas pela evidência. Também observei que muitos ortodontistas eram “vencedores de prêmios”, “apaixonados pela Ortodontia”, “não faziam extrações”, “usavam Ortodontia acelerada” e “bráquetes auto-ligáveis rápidos”. Existe um padrão aqui.

Parece que os “inovadores” na nossa especialidade são aqueles que estão adotando esta nova forma de tratamento, apesar da evidência.

Então como praticamos a “Ortodontia amiga das vias aéreas”?

Levando-se em consideração o relato da AAO e os atuais níveis de anúncio, não posso deixar de pensar que o que pode ser uma boa prática está sendo deturpado por aqueles que querem se mostrar diferentes dos ortodontistas “convencionais”.

Acho que não tem nada de errado em ser um ortodontista “convencional”, uma vez que o nosso trabalho deve falar por ele mesmo, sem as reivindicações do marketing.

Mas como entregamos um bom tratamento das vias aéreas? Isso está bem explicado no relato da AAO. Devemos avaliar a possibilidade de AOS nos nossos pacientes como parte do exame, preferencialmente utilizando uma ferramenta de triagem. Se detectarmos que o paciente pode ter AOS, devemos fazer a indicação apropriada. Finalmente, devemos oferecer o tratamento apropriado seguindo os relevantes procedimentos médicos/cirúrgicos, mas apenas se isso não for bem-sucedido.

Assim, é fácil praticar a “Ortodontia amiga das vias aéreas”. Isso não é diferente da boa Ortodontia ética que a maioria de nós pratica. Me pergunto se isso não é apenas uma manobra de marketing, não tendo nada de especial.

 

Traduzido por Klaus Barretto Lopes

Professor Adjunto de Ortodontia e Saúde Bucal Coletiva da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Brasil

Leave a Reply

Your e-mail address will not be published. Required fields are marked *