April 24, 2017

Mais uma vez AcceleDent… Os líderes formadores de opinião comentam sobre uma pesquisa recente!

Mais uma vez AcceleDent… Os líderes formadores de opinião comentam sobre uma pesquisa recente!

Leitores regulares desse blog já sabem que não existe evidência de alta qualidade de que forças vibratórias possuam um efeito na movimentação dentária. A última edição do AJO publicou uma carta de alguns líderes formadores de opinião da AcceleDent. Esse post é sobre a resposta deles.

Eu já postei sobre o AcceleDent várias vezes. Nesses posts eu ressaltei que RCTs bem conduzidos tem sugerido que não existe evidência de que o AcceleDent aumente a velocidade da movimentação dentária. Peter Miles fez o estudo mais recente que foi publicado no AJO-DDO.

Seguindo a publicação desse artigo vários ortodontistas bem conhecidos chamaram a atenção para algumas preocupações que eles tiveram com esse estudo. O editor do AJO-DDO publicou a carta deles e o Peter respondeu na última edição do AJO-DDO. Na primeira carta, dois dos autores relataram que eles tinham um potencial conflito de interesses, pois eles tinham algum relacionamento com a AcceleDent. Peter Miles esclareceu com facilidade todos as considerações deles em sua resposta.

Entretanto, eu estava interessado em ver na carta deles o que eles afirmaram:

“quando os pacientes utilizaram o dispositivo quase todos os dias (média de 26 vezes por mês em torno de 7 meses) foram reportadas taxas modestas de aumento no alinhamento dentário, nivelamento e distalização dos molares”.

Eles disseram que esse dado foi derivado de dois estudos que foram feitos pelo Dr. Jay Bowman e publicado no Journal of Clinical Orthodontics. Assim, eu achei que eu devia dar uma olhada neles.

The Effect of Vibration on the Rate of Leveling and Alignment

The Effect of Vibration on Molar Distalization

Eu analisei separadamente ambos os artigos, mas considerei os achados conjuntamente.

O que eles perguntaram?

No primeiro estudo ele perguntou se o AcceleDent poderia aumentar a taxa se nivelamento e alinhamento e fez um estudo retrospectivo para avaliar os efeitos do AcceleDent sobre o tratamento da Classe II sem extrações. Ele identificou uma amostra de 117 pacientes e os dividiu em:

  • 30 que receberam tratamento com AcceleDent com intervalos de quatro semanas entre as consultas;
  • 37 que não receberam AcceleDent com intervalos de quatro semanas entre as consultas;
  • 50 que foram tratados antes do AcceleDent ser usado em seu consultório (amostra PAD) com intervalos de 5 a 7 semanas entre as consultas. Eu não sei bem se eles coletaram os dados prospectivamente ou retrospectivamente. Apesar disso, ele tratou esse grupo usando um protocolo diferente com respeito ao tempo entre as consultas.

Ele coletou os dados ao início do tratamento e nos seguintes pontos:

  • Final do alinhamento, definido como quando um fio de aço 017×025 podia ser inserido;
  • Nivelamento: Definido como quando um fio de aço 019×025 podia ser inserido. Eu não sei bem se isso representou o final do alinhamento. Isso porque alguns clínicos utilizam esse tipo de fio para nivelamento.

Eu acho que nós precisamos considerar que esses são desfechos clínicos subjetivos que poderiam dar validade clínica ao estudo. Entretanto, eu também preciso ressaltar que o operador não estava “cegado” para a alocação no tratamento. Isso poderia, indiscutivelmente, levar a um viés substancial.

O que eles acharam?

Eu decidi somente considerar os resultados do AcceleDent e as amostras controle, pois a amostra PAD foi tratada de forma diferente. Eu adaptei a tabela de resultados e calculei os intervalos de confiança a 95%.

 PiezocisionControlDifference
Days to alignment102112-10
95% CI(83-120)(84-139)(-41-20.9)

Eles afirmaram que encontraram uma diferença clínica no alinhamento, mas isso não foi estatisticamente significante. Sendo assim, isso pode ter acontecido ao acaso. A diferença no nivelamento foi estatisticamente e clinicamente significante.

Vamos dar uma olhada no outro artigo.

O que eles perguntaram?

Eles fizeram esse estudo para avaliar se o AcceleDent teve um efeito sobre a velocidade do movimento de distalização do molar. Esse estudo foi retrospectivo. Ele identificou 30 pacientes que usaram AcceleDent e 30 que não usaram (controle).

Ele coletou os dados ao início do tratamento e ao fim do movimento de distalização que foi decidido pelo operador. Mais uma vez, ele não foi “cegado” para a alocação do tratamento. Ele coletou os dados de cefalogramas e dos arquivos dos pacientes.

O que eles acharam?

Ele não achou diferença entre os grupos com relação à inclinação, intrusão ou distalização dos molares. A única diferença que ele achou foi que os pacientes no grupo AcceleDent tiveram 1,2 mm a mais de movimentação distal dos molares (tanto de raíz como de coroa) que o controle. Isso foi sobre um período de, aproximadamente, 220 dias. Eu acho.

O que eu acho?

Eu vou considerar esses artigos em conjunto. Na minha opinião eles tiveram os seguintes problemas metodológicos:

  • Os estudos são retrospectivos, isso significa que eles estão suscetíveis a ter viés de seleção;
  • Não existiu cálculo de tamanho de amostra;
  • O operador não foi “cegado” para a alocação de tratamento. Isso é muito importante, pois os pontos de coleta dos dados foram muito subjetivos;
  • Os intervalos de confiança foram muito amplos. Isso significa que existe muita incerteza nos dados;
  • Existiu confusão entre a diferença estatisticamente e clinicamente significantes.

Se nós ignorarmos esses problemas, eu gostaria de considerar os achados gerais dos estudos. Eu acho que posso concluir que os únicos efeitos do AcceleDent foram:

  • Movimento distal do molar superior (longo eixo)1,2 mm a mais do que o grupo controle;
  • Reduziu o tempo de nivelamento em 48 dias. Entretanto, quando analisamos o intervalo de confiança isso poderia facilmente ser de ?? até ?? dias.

Eu também gostaria de ressaltar que Jay Bowman reconhece os problemas com o estudo dele e afirma o seguinte:

“Considerando que a significância do efeito parece estar equilibrada na ponta de uma faca, futuras investigações considerando tempo e dinheiro devem ser levadas em conta em qualquer aplicação clínica”.

Eu concordo com isso e eu estou confuso que na carta para o AJO-DDO eles declararam:

“quando os pacientes utilizaram o dispositivo quase todos os dias (média de 26 vezes por mês em torno de 7 meses) foram reportadas taxas modestas de aumento no alinhamento dentário, nivelamento e distalização dos molares”.

E como ficamos após isso?

Eu tenho pensado sobre a afirmação dos líderes formadores de opinião da AcceleDent. Meu sentimento atual não mudou. Nós não temos um alto nível de evidência de que o AcceleDent aumente a velocidade da movimentação dentária.

O Congresso da AAO será na semana que vem. Eu estou certo de que o stand da AcceleDent estará cheio de vendedores e líderes formadores de opinião. Por que não perguntá-los sobre a pesquisa?

Traduzido por Klaus Barretto Lopes

Professor Visitante da Universidade de Manchester, Inglaterra, Reino Unido Instrutor de Ortodontia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Brasil

 

Related Posts

Leave a Reply

Your e-mail address will not be published. Required fields are marked *