February 07, 2017

O tempo de uso do aparelho funcional influencia na redução do overjet?

O tempo de uso do aparelho funcional influencia na redução do overjet?

Todos nós pensamos que a efetividade dos aparelhos funcionais removíveis é influenciada pela quantidade de tempo que o nosso paciente usa o aparelho. Esse post é sobre um novo estudo que responde a essa questão.

Overjet reduction in relation to wear time with the van Beek activator combined with a microsensor

Ali S.A. Al-Kurwi, Annemieke Bos, Reinder B. Kuitert

AJO-DDO 151, Issue 2, 277–283

 Quando os marcadores de tempo intra-orais foram desenvolvidos, eu achei que eles seriam úteis em projetos de pesquisa. Pensando nisso, foi ótimo achar esse artigo interessante no American Journal of Orthodontics.

Um grupo de Amsterdam, na Holanda, fez esse projeto de pesquisa muito interessante.

O que eles fizeram?

Eles fizeram o estudo para ver se existia alguma associação entre as mudanças do overjet, o tempo de uso e a duração do tratamento com aparelhos funcionais.

Esse foi um estudo cohort prospectivo de 28 pacientes adolescentes que tinham overjets de, no mínimo, 6 mm. Os residentes do departamento trataram os pacientes com um ativador van Beek, que é uma combinação de um aparelho extra-oral com um ativador.

 

van-beek

Eles utilizaram um dispositivo que marca o tempo chamado TheraMon para registrar o tempo de uso do aparelho funcional. Eles avisaram aos pacientes e aos pais deles que a cooperação estaria sendo medida.

O sensor TheraMon é um pequeno dispositivo que é embebido no aparelho removível. O sensor trabalha registrando o tempo em que a temperatura ao redor do dispositivo é superior a 35ºC, o que seria o tempo de uso do aparelho. O ortodontista lê os dados utilizando uma estação especial de leitura.

Eles usaram um ativador van Beek com extra-oral e pediram aos pacientes para usarem o aparelho por, no mínimo, 12 horas por dia.

Eles avaliaram o progresso do tratamento nas primeiras três consultas, o que resultou num período entre 3,6 e 9,3 meses. Em cada consulta eles mediam o overjet com uma régua e a duração do uso do aparelho com o Theramon.

Eles calcularam a quantidade da redução do overjet pela mudança percentual entre os registros.

O que eles encontraram?

Eu coloquei os dados relevantes nessa tabela:

Percentual de redução no Overjet (mediana)

Período no tempo < 8 HORAS DE USO >8 HOURAS DE USO P
T1-T0 6,25 12,5 0.32
T2-T1 10,5 25,4 0.004
T3-T2 11,2 20,00 0.05
T3-T1 27,2 50,00 0.004

 

Foi interessante observar que os pacientes usaram os aparelhos entre 0,49 e 11,03 horas por dia.

Eles também encontraram uma associação entre o tempo de uso e a redução percentual do overjet. Por exemplo, um tempo de uso de oito horas ou mais foi associado a uma redução de overjet maior. É importante ressaltar que os pacientes que usaram o aparelho mais do que oito horas por dia conseguiram uma redução do overjet de 50% quando comparado aos 20% de quem usou menos que oito horas.

Eu também achei interessante observar que os pacientes com um uso diário de 11 horas ou mais por dia tiveram uma redução do overjet de 6,5 mm. Aqueles que somente usaram o aparelho por 1,8 horas ou menos tiveram uma redução de somente 1,0 mm.

O que eu penso?

Esse foi um estudo observacional muito interessante. Eu achei que existiram muitos achados importantes.

Em primeiro lugar, os pacientes não usaram os aparelhos pelo período de tempo que os operadores pediram para eles usarem (pelo menos 12 horas por dia). Na realidade, eles não fizeram o que os ortodontistas pediram! Porém, quando usaram o aparelho por mais de oito horas por dia ainda conseguiram alcançar uma redução de overjet satisfatória.

Também foi interessante ver que, ainda que os pacientes soubessem que estavam sendo monitorados, nenhum deles atingiu o alvo de 12 horas por dia.

Como de costume, eu gostaria de considerar os efeitos desse artigo na clínica. É importante notar que o artigo nos fornece informações interessantes sobre o tempo que pedimos para o nosso paciente usar o aparelho funcional. Por exemplo, eu peço aos meus pacientes que usam Twin Block para usar o aparelho por 24 horas por dia, exceto quando estão comendo. Eu fico me perguntando se esse estudo nos mostra que precisamos pedir aos nossos pacientes para usar os aparelhos por apenas 12 horas por dia. Isso significaria que eles não precisariam usar os Twin Blocks na escola, o que poderia impulsionar as nossas taxas de sucesso.

O artigo também mostrou que quando o paciente usou o aparelho por menos que oito horas, o aparelho não funcionou. Isso me faz pensar que, se o paciente está usando o aparelho por menos de oito horas, de acordo com o dispositivo marcador de tempo, nós deveríamos considerar outro tratamento.

Em resumo, eu achei que esse foi um estudo realmente interessante que respondeu a questões clínicas fundamentais. Esses achados me persuadiriam a começar a usar controladores de tempo nos meus aparelhos funcionais removíveis.

 

Traduzido por Klaus Barretto Lopes

Professor Visitante da Universidade de Manchester, Inglaterra, Reino Unido

Instrutor de Ortodontia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Brasil

 

Leave a Reply

Your e-mail address will not be published. Required fields are marked *